LEANDRO

LEANDRO
Jogador de futebol, Cabofriense Quatro vezes campeão brasileiro, Cinco vezes campeão carioca, Cinco vezes campeão da Taça Guanabara, Campeão da Taça Libertadores da América e Campeão mundial de clubes pelo Flamengo

EM PARTIDA MOVIMENTADA E POLÊMICA, ADDP/CABO FRIO/MACAÉ PERDE PARA O BLUMENAU PELA LIGA FUTSAL

Na noite do último sábado (30), a ADDP/CABO FRIO/MACAÉ recebeu a equipe do Blumenau/SCF pela Liga Futsal e viu sua sequência de seis jogos invicta terminar. Os catarinenses venceram por 2x0 e assumiram provisoriamente a liderança da competição, com 27 pontos, um a mais que o Jaraguá Futsal, que tem dois jogos a menos. Já a equipe alviverde, com 18 pontos, ocupa a 8ª posição. A partida, realizada no Ginásio Poliesportivo Alfredo Barreto, contou com bom público e muita polêmica em relação à arbitragem.
Logos nos minutos iniciais, a equipe catarinense deu mostras de que não esperaria a ADDP em sua quadra e começou com a marcação bastante adiantada, dificultando a penetração ofensiva dos anfitriões. E foi Blumenau quem deu o primeiro chute a gol, aos 2 minutos, com Lucas mandando a bola à direita do gol de André.
Precisa no toque de bola, buscando a abertura de espaços no ataque, a equipe do Blumenau abriu o placar, aos 5, com Peru, finalizando de dentro da área, 1x0. Por muito pouco a ADDP não chegou ao empate na sequência, com Lucas Tardelli, que viu seu chute desviar no pé direito de Roncaglio e sair para escanteio. Os donos da casa melhoraram após o gol e, aos 7, a ADDP já havia criado pelo menos duas boas chances de empatar, com André, arriscando de longe e parando na boa defesa do goleiro Roncaglio, e com Wilson, que chutou por cima.
Aos 10, Fabrício quase empatou de calcanhar, dentro da área, mas o goleiro catarinense estava atento e defendeu. A ADDP só conseguia levar real perigo a Roncaglio em finalizações do goleiro André, que subia até a metade da quadra para finalizar. Blumenau mostrava aplicação na marcação e na ocupação de espaços, evitando que a ADDP conseguisse finalizar sem ter um marcador próximo. Aos 17, Roncaglio voltou a salvar os visitantes do empate em nova tentativa de André. Mesmo pressionando nos segundos finais, a ADDP foi para o intervalo perdendo por 1x0.
Na segunda etapa, Blumenau voltou pressionando o toque de bola da ADDP no campo de defesa alviverde, forçando erros de passe. Aos 5, Peru bateu pro gol, a bola desviou na marcação, enganou André, mas bateu no travessão e quicou antes da linha, dando um grande susto na torcida cabofriense presente ao ginásio. O panorama de boa postura defensiva do Blumenau não mudou até os 10 minutos e a ADDP trabalhava bem a bola, sem, no entanto, encontrar brechas na defesa.
Aos 12, Roncaglio saiu mal para cortar um cruzamento, a bola chegou a Arthur, que entrou na área e dividiu com o goleiro de Blumenau, indo ao chão. O lance foi duvidoso e a arbitragem não marcou a penalidade. Aos 14, Lucas Tardelli fez linda jogada individual, deixou seu marcador no chão e chutou rasteiro, para grande defesa de Roncaglio. Aos 16, o técnico da ADDP, Cupim, pediu tempo e passou orientações ao time, no sentido de manter a paciência e a atenção no toque de bola, visando furar a retranca catarinense. No entanto, a paciência do próprio treinador acabou quando Arthur, que já tinha cartão amarelo, reclamou com a arbitragem em um lance no ataque e recebeu o segundo cartão, sendo expulso e deixando a ADDP temporariamente com três jogadores de linha.
Enquanto a comissão técnica da ADDP reclamava muito da expulsão, o Blumenau aproveitou a superioridade numérica para ampliar. Aos 17, após boa troca de passes na área, Dão completou pro gol vazio, Blumenau 2x0. Nos minutos finais, Roncaglio conseguiu evitar que Bruno Ciro descontasse e, aos 19, Régis desperdiçou a chance de fazer o terceiro, carimbando a trave esquerda da ADDP, que viu sua invencibilidade terminar com a derrota por 2x0.
O goleiro André comentou a quebra da sequência invicta de seis partidas na competição e ressaltou a boa campanha realizada pela equipe da ADDP/Cabo Frio/Macaé: "Nós fomos bem na partida e o mais importante foi o empenho demonstrado. A gente tentou até o último segundo, o Roncaglio fez uma boa partida, assim como eu. Ninguém pode criticar a nossa campanha. A derrota traz insatisfação pela quebra da invencibilidade, mas a equipe do Blumenau é uma das mais qualificadas da Liga. Apesar da derrota, estamos todos de parabéns", declarou.
Sobre os próximos compromissos, diante do Corinthians e do Sorocaba, ambos fora de casa, André mostrou ciência da dificuldade, mas confiança em bons resultados: "Nossa equipe tem jogado de igual para igual contra qualquer equipe. Nós ganhamos do Concórdia fora de casa, empatamos lá com o Joinville, merecendo a vitória. O Corinthians e o Sorocaba são equipes bastante qualificadas, com muitas peças de reposição, habilidade e técnica, mas tenho certeza de que faremos duas boas partidas e isso vai nos ajudar a somar mais pontos fora de casa", definiu.
A ADDP/CABO FRIO/MACAÉ jogou com: André, Wellington, Regufe, Fabrício, Arthur, Vinicius, Alfredo, Bruno Ciro, Lucas Tardelli, Davizinho e Wilson T:Cupim Prep Físico: Bruno Rodrigues
Nas próximas rodadas, a ADDP/Cabo Frio/Macaé visita o Corinthians (01) e vai até Sorocaba, onde enfrenta o Futsal Brasil Kirin/Umbro (13). A equipe volta a jogar em casa no dia 17, contra o Floripa Futsal, no Ginásio Poliesportivo Alfredo Barreto. A entrada é franca.


Julio Avila














 André eleito o melhor jogador da partida




Leia Mais

PROJETO NOVO CIDADÃO ULTRAPASSA A MARCA DE 10.000 ATENDIMENTOS EM 2012


O projeto sócio esportivo Novo Cidadão que é desenvolvido pela Secretaria de esportes e lazer acaba de obter mais uma vitória, conquistando a marca de mais de 10.000 atendimentos a crianças e adolescentes neste ano de 2012.
  O Secretário de Esportes, Eliseu Pombo, explica o que representa para a cidade de Cabo Frio, e também para o estado do Rio de Janeiro, esse novo recorde alcançado pelo projeto, que é registrado no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente:
“O projeto chegou a essa marca em virtude do bom trabalho que é desenvolvido pelos profissionais nele envolvidos. Foi muito importante o apoio do prefeito Marquinho Mendes, tanto no sentido de oferecer novos equipamentos esportivos, como a construção dos ginásios poliesportivos Vivaldo Barreto, no Jardim Esperança, e João Augusto, no distrito de Tamoios e o aluguel de imóvel com uma piscina, assim como em ter dado total apoio para que o projeto se desenvolvesse e atingisse o patamar atual de sucesso e êxito.
Esta conquista serve de exemplo dado por Cabo Frio ao estado do Rio de Janeiro, mostrando que se pode investir recursos públicos em um projeto sócio esportivo e que, se ele for aplicado de maneira correta, atinge-se os seus objetivos.
O trabalho da equipe da Secretaria de Esportes, somado ao dos profissionais envolvidos, mostrou àqueles que tinham algumas restrições, que consideravam um sonho, uma utopia, que com trabalho, dedicação e no contexto de desenvolver o esporte democraticamente e como política pública é  possível chegar aonde o esporte de Cabo Frio chegou hoje, com essa marca expressiva".
O Projeto Novo Cidadão possui 48 núcleos e 52 subnúcleos distribuídos por toda a cidade de Cabo Frio, dos 140 profissionais que nele atuavam em 2011, chegou-se aos 210 profissionais, entre professores, assistente social, estagiários e apoios, atuantes em 2012, mostrando que o projeto também colaborou para a geração de renda e emprego.
O crescimento é visível e notório e o secretário fala sobre os fatores que contribuíram para esse crescimento tão grande:
“Podemos enumerar alguns dos principais fatores que propiciaram esse crescimento: organização do projeto; seu planejamento; a dedicação dos profissionais envolvidos; o desenvolvimento de novos equipamentos esportivos, que permitiram levar o projeto ao Jardim Esperança (Ginásio Vivaldo Barreto) e ao distrito de Tamoios (Ginásio João Augusto), onde também utilizamos a praia e o campo de futebol; a conquista do imóvel com uma piscina, onde foi desenvolvido o núcleo de natação, modalidade para a qual havia uma procura significativa, assim como o desenvolvimento de outras modalidades como remo, vela, ginástica olímpica, taekwondo e ginástica artística.
            Hoje, o Projeto Novo Cidadão oferece atendimento em 26 modalidades e todas elas estão ocupadas, o que mostra a versatilidade do celeiro de atletas que é a cidade de Cabo Frio. Eliseu Pombo explica que, ainda na origem do que hoje se tornou um projeto sócio esportivo, já havia sido identificada essa diversificada demanda na cidade:
"Desde 2002, ainda nas reuniões do PROESPA, já tinha sido identificado em Cabo Frio a prática de algumas modalidades sem nenhuma organização. Já havia uma orientação para que fosse feito um desenvolvimento amplo e de forma democrática e não-específico desta ou daquela modalidade. Em 2004, nós já tínhamos elaborado uma situação que direcionava desenvolver um projeto sócio-esportivo de maneira democrática.
Nós já sabíamos da demanda, da procura, o que não se tinha era um projeto. Hoje nós temos uma diversificação muito grande de modalidades e todas estão ocupadas. Algumas coisas podem colaborar mais ainda para no futuro se colocar outras modalidades dentro do projeto e, com isso, contribuir cada vez mais para a quebra de marcas tão relevantes como essa dos 10 mil atendimentos que atingimos hoje", define.
Confira a relação atualizada dos atendimentos separadamente por núcleos e modalidades clicando aqui 



Ler Mais

COLUNA OPINIÃO: PLANTAR E COLHER

Pessoas ao plantar uma arvore podem ter como objetivo, que todos possam colher os seus frutos, admirar suas flores e beneficiar-se de sua sombra.

Mais durante esse tempo entre o plantar e colher vai sempre existir, a responsabilidade daqueles que plantaram de cuidar desta arvore


E mesmo depois quando é só tempo de colher vai continuar existindo, a responsabilidade daqueles que plantaram de cuidar desta arvore


Por quê nenhuma arvore cresce ou dá frutos sem passar por diversos problemas.


Alguns podem colher para si, ou seja, usam a arvore para proveito próprio sem a responsabilidade de cuidar desta arvore. Alguns podem simplesmente não colher e esquecer da responsabilidade de cuidar desta arvore.


Nas duas situações esses problemas vão contribuir de forma contundente, para que a arvore entre em processo de declínio no seu desenvolvimento, podendo chegar na fase terminal.


Esta arvore pode simbolicamente representar, uma modalidade esportiva, Federação, Liga, projeto esportivo, projeto sócio esportivo e outros.


“A vida e a morte, o bem e o mal estão diante do homem o que ele escolher, isso lhe será dado, porque é grande a sabedoria de DEUS. Forte e poderoso, ele vê sem cessar 

todos os homens”. Eclesiástico 15, 17/19

Eliseu Pombo CREF 13376-P

Sub secretário de Esportes de Cabo Frio(2005), Secretário da Criança e Adolescente(2005/08), Presidente do Conselho da Criança e Adolescente(2005/08), Superintendente, Coordenador do Esporte(2009/10), Secretário de Esportes de Cabo Frio(2010/2012), 
Presidente do Conselho de Esportes de Cabo Frio(2010/2012)



Ler Mais

HISTÓRIAS E CONQUISTAS DO ESPORTE AMADOR DE CABO FRIO - ESPECIAL VÍDEOS

Assista ao jogo histórico da final de 1991 entre Cabofriense x Tufão e também o jogo completo entre Cabofriense x Tamoyo (Juvenil).


Equipe campeã de 1991 - Em pé e/d Marco Antônio,Vaguinho, Parede, Urubatan, Marquinho, Mico, Eliseu Pombo e Edésio agachados e/d Sandrinho, Robinho, Aritana, Gustavo, Robson e Careca

CABOFRIENSE X TUFÃO - A GRANDE FINAL DE 1911



                                          

CABOFRIENSE X TAMOYO JUVENIL 






Ler Mais

HISTÓRIAS E CONQUISTAS DO ESPORTE AMADOR DE CABO FRIO - FUTSAL, DA FUNDAÇÃO DA LIGA ATÉ A LIGA NACIONAL - PARTE 25

“Da Fundação da Liga até a Liga Nacional”
Parte 25


Antes de adentramos a história do campeonato municipal de futebol de salão de 1991, é importante lembrar que em nosso planejamento tínhamos um objetivo, que foi descrito na parte 22 que era o seguinte:
“Desde as primeiras competições realizadas pela Liga identificamos a necessidade de levar informações pertinentes a estrutura da equipe, no plano tático, na preparação física e técnico com o objetivo de fortalecer as outras equipes que estavam participando das competições. Isto era fundamental para o crescimento do campeonato”
E foi justamente neste ano que começamos a ver o objetivo sendo alcançado, e além disso vieram outras conquistas como equipes fazendo parcerias com empresas, assim como o desenvolvimento do futebol de salão na já conceituada A. A. Cabo-friense, que além de formar sua própria equipe adulta criou também a escolinha comandada pelo prof. Nilberto.


Professor Nilberto e a criação da escolinha da A.A.C.
Foi um trabalho árduo a implantação da escolinha em virtude das dificuldades encontradas, mais que eram pertinentes pela falta de investimento em anos anteriores. O professor Nilberto tirou agua da pedra mais jamais desanimou, algumas vezes presenciei ele dando aula para quatro alunos, a agua ele tinha que trazer de casa carregando na sua moto, foi uma luta porém mais a frente foi retribuída todo o seu esforço, como podem ver nas fotos em anexo nesta matéria, foi uma vitória criar, desenvolver, ampliar e formar equipes para a disputa do campeonato de base, podemos afirmar que neste momento foi de fato plantado uma semente que perdura até hoje, parabéns ao prof. Nilberto pela grande colaboração ao futsal de Cabo Frio














As equipes
O campeonato adulto deste ano foi disputado por 06 equipes: Tamoyo E. C., A. A. Cabo-friense, Costa Azul Iate Clube, União F. C., Tufão F. C. (Arraial do Cabo) e o estreante J.J. Engenheiros.   
O Campeonato Municipal de 1991 foi marcado pela volta da tradicional A. A. Cabo-friense a disputa da competição, pois no ano anterior ela não participou. Liderados pelos comerciantes Eliseu Pombo da empresa Pombo Auto Peças, Luís Gustavo Gonçalves da empresa Búzios Madeira e com o apoio do presidente Sr. Almir Carvalho a A. A. Cabo-friense montou um elenco forte, mais também não esqueceu de investir na base.
A equipe foi formada na sua maioria por atletas que eram da equipe do Tamoyo tais como: Careca, Mico, Gustavo, Vaguinho, Urubatan, tinha também algumas revelações como Aritana, Marquinho Matador e Sandrinho Guimarães, contava ainda com Parede, Robinho, Robson e Marco Antônio Tardelli, e o excelente Kiko Jorge, o melhor jogador da temporada anterior, mais este mais tarde optou em jogar profissionalmente no futebol de campo pela mesma A.A.C.e deixou a equipe, tudo isso sob o comando de Eliseu Pombo (treinador), do Profº. Edésio (Prep. Físico) e o supervisor Sr. Paulo Chagas.
O Tamoyo E. C. comandado por Rico tinha Everaldo, Jailson, Hélcio, Marcelo Peixe, Totonho, Alfredo Barreto, Marquinho Mendes, Zé Ricardo, Tonho Azevedo, Marcelinho e os goleiros (Marcelão, Audir, Carlos Bara e Robinson).
União F. C.: Máspoli, Walter, Gardel, Guilherme
Costa Azul Iate Club: Wladimir, Dado, Flávio Tiziu, André Bocão, Totonho da Gamboa, Geraldinho
Tufão F. C.: Paulinho, Justino, Beto, Toninho, Sidnei, Ederaldo, Fernando, Baia, Samuel
E a novidade a equipe do JJ Engenheiros que montou também um bom time que contava com o goleiro Ayala, Fabinho, Canhoto, Maçarico, PC, Marcelo Japão, Telo, Leandro, Agnaldo e Alexandre Chuta-Chuta.
A Cabo-friense demonstrou a sua força desde o torneio início, onde em um jogo disputadíssimo na final contra o Tamoyo, saiu vencedor pelo placar de 1x0, gol de Aritana, que naquele ano passou a despontar como um dos maiores jogadores de futebol de salão da nossa cidade.


Jogo do Tamoyo e a bola
Durante uma rodada do campeonato estava sendo realizado um jogo no ginásio da A. A. C., envolvendo o Tamoyo e outra equipe que não recordo agora, estava na arquibancada assistindo ao jogo junto com Chagas e depois de passados alguns minutos observei uma certa dificuldade no passe de alguns atletas de qualidade do Tamoyo, como Alfredo Barreto, Hélcio e Marcelo Peixe e esses erros estavam dificultando o desenvolvimento ofensivo da equipe, foi então que percebi que a bola do jogo estava horrível e não tinha outra em melhores condições, pedi ao Chagas para por favor apanhar uma bola nova e entregar na mesa para substituir aquela bola horrível, mais o tempo foi passando a dificuldade foi aumentando e o time do Tamoyo já estava perdendo o jogo, nesse momento lembrei que estávamos na mesma chave e era importante o resultado negativo da Tamoyo se quiséssemos classificar, portanto imediatamente enviei alguém para falar com Chagas que não trouxesse a bola, quando Chagas chegou não entendeu nada,  depois expliquei o que poderia acontecer ao trocar a bola, imagine os jogadores de qualidade do Tamoyo com uma bola em perfeitas condições, ele olhou para mim e disse e melhor ficarmos quietos.

Marquinho de pivô para beque
Ao começarmos os treinamentos comecei a observar o Marquinho que naquele momento jogava de pivô, mais as vezes que tinha de marcar tinha algo que chamou atenção a leitura do jogo defensivo, tanto na hora de antecipar como no momento de fazer a cobertura, além de uma disposição enorme. Começamos a conversar sobre o assunto e ele que sempre esteve atento e ouvindo as informações e absorvendo, acabou cedendo e então mudamos a sua função na equipe.
Lembro do seu primeiro teste em jogo contra o Tamoyo teria que marcar nada menos que o Hélcio, começou o jogo e na primeira participação já fez uma antecipação sobre o Hélcio que quase tomou a bola, com o transcorrer do jogo manteve-se muito bem na marcação seno assim até o final da partida. Conclusão ganhamos um excelente fixo que foi capitão durante anos na seleção de Cabo Frio e em equipes que atuou em virtude de também ser excelente pessoa fora da quadra.


Resumo da final
Bem ao final de dois turnos, as equipes da A. A. Cabo-friense e do Tufão F. C. se classificaram para fazer a final do campeonato daquele ano, as equipes se enfrentaram em 03 partidas, aliás, todas elas emocionantes, a primeira partida realizada no ginásio do Tamoyo, o Tufão saiu vencedor, o segundo confronto foi realizado no ginásio da A. A. Cabo-friense, mais desta vez a vitória ficou com a Cabo-friense, em virtude do empate das equipes com 03 pontos ganhos, houve a necessidade de um terceiro jogo.
Na terceira e decisiva partida também realizada no ginásio da Cabo-friense, os donos da casa em uma partida emocionante, conseguiram levantar o título depois de uma virada sensacional em cima da equipe cabista, que até hoje é lembrada por todos aqueles que presenciaram essa partida histórica.
Vale ressaltar que durante o primeiro semestre o Tamoyo e a ADA participaram do Campeonato Estadual de Futebol de Salão, organizado pela Federação, tanto o Tamoyo como a ADA não foram bem na competição.

Neste momento de agradecer aos nossos colaboradores Sr. Flávio Barreto, Prof. Nilberto, ao nosso amigo oculto, queremos agradecer e comunicar que o Sr. Moacir Cabral e o Sr. Rodrigo Cabral muito gentilmente estão cedendo matérias do jornal “FOLHA dos LAGOS” pertinentes a história do futsal. Estas matérias serão recortadas e colocadas daqui para frente em todas as histórias que estamos descrevendo neste blog, o futsal agradece desde já pela atitude de colaborar com essa história.

FIQUEM LIGADOS NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA (29/08) AS 8:30 DA MANHÃ ESTAREMOS POSTANDO O VÍDEO DO JOGO COMPLETO DA GRANDE FINAL ENTRE CABOFRIENSE X TUFÃO E MAIS 2 OUTROS JOGOS, NÃO PERCAM!!!




















Ler Mais