LEANDRO

LEANDRO
Jogador de futebol, Cabofriense Quatro vezes campeão brasileiro, Cinco vezes campeão carioca, Cinco vezes campeão da Taça Guanabara, Campeão da Taça Libertadores da América e Campeão mundial de clubes pelo Flamengo

ADDP CABO FRIO PERDE EM CASA PARA O JARAGUÁ E SE COMPLICA NA LIGA FUTSAL

Na noite da última quinta-feira (16), no Ginásio Poliesportivo Alfredo Barreto, a ADDP/Cabo Frio/Macaé foi derrotada pela equipe do Jaraguá por 4x1. Os visitantes saíram na frente, a ADDP buscou o empate na segunda etapa, mas acabou sofrendo a derrota nos minutos finais.
Líder da primeira fase, mas empatado com a ADDP na segunda fase, com apenas um ponto ganho, o Jaraguá começou impondo seu ritmo, de toques rápidos e marcação muito intensa, arriscando finalizações perigosas e dando trabalho ao goleiro André desde o início. A ADDP roubava a bola no seu campo e tentava responder na velocidade do contra-ataque. No entanto, a boa rotação defensiva do Jaraguá não deixava espaços para uma chance clara de gol.
Aos 8, Bruno Ciro cobrou escanteio da direita e Fabrício bateu em cima da marcação. No rebote, o ala finalizou com força, mas Baranha fez a defesa. A resposta foi quase fatal. Keko avançou pela direita e bateu cruzado, mas André evitou o primeiro gol.  Aos 10, não teve jeito. O Jaraguá tabelou pela direita, Dian chutou rasteiro e na sobra, Henrique abriu o placar, Jaraguá 1x0.
Foi a deixa para o técnico da ADDP, Cupim, parar o jogo e pedir mais firmeza na marcação e calma no toque de bola. Igor entrou bem no jogo e deu muito trabalho pela esquerda. Em uma saída rápida do goleiro visitante, Dian foi lançado pelo alto e subiu sozinho, mas a cabeçada saiu à direita do gol de André.
A melhor chance de marcar para a ADDP veio aos 14. Após bate e rebate na área, a bola sobrou para Wellington que, da entrada da área, acertou o travessão de Baranha. O troco veio com Oito Meia, que limpou bem a marcação e soltou uma bomba, exigindo uma excelente defesa de André, no reflexo. Jaraguá terminou o primeiro tempo pressionando e, para a sorte da ADDP, não caprichou na pontaria, indo para o intervalo com a vitória por apenas um gol.
Precisando buscar o resultado em casa, a ADDP voltou mais agressiva e logo chegou ao empate na segunda etapa. Aos 3, Wilson recebeu na entrada da área, deu um corte na marcação e bateu com força. Baranha deu rebote e Fabrício não desperdiçou, 1x1. Animada com o gol e empurrada pela torcida, a ADDP exerceu a maior pressão do jogo até então, dominando os primeiros 7 minutos, mas parou em uma boa sequência de defesas de Baranha.
Experiente, o Jaraguá soube suportar a pressão e conseguiu chegar ao segundo gol, com Keko, que dominou de costas para o gol, girou e bateu no canto esquerdo de André, Jaraguá 2x1. O jogo ficou mais faltoso, de ambos os lados e a arbitragem teve bastante trabalho. A marcação do Jaraguá voltou a encaixar e a ADDP não encontrava mais os espaços para finalizar. Uma rara chance surgiu aos 14, com Fabrício, mas Baranha voou no canto esquerdo e espalmou.
Vendo o fim do jogo se aproximar, Cupim deu a ordem para o time arriscar, já que a derrota complicaria muito a luta pela classificação da ADDP. E o goleiro André passou a sair mais do gol e subir até a meia quadra, apoiando o ataque. Em uma dessas saídas, o goleiro quase marca, mas seu chute rasteiro explodiu no pé da trave direita de Baranha. E foi em uma falha na troca de passes no campo de ataque que a equipe de Cabo Frio sofreu o terceiro gol, marcado por Caio, após arrancar e driblar dois marcadores antes de tocar com categoria, no ângulo, Jaraguá 3x1. Para sacramentar a vitória, Nenê tabelou com Caio pela esquerda e, já caindo, bateu cruzado, fechando a vitória dos visitantes por 4x1. Nos segundos finais, a torcida presente ao ginásio aplaudiu e gritou o nome da equipe da ADDP, reconhecendo o esforço demonstrado durante a partida. O ala Wellington comentou a atitude dos torcedores: “Eu acho que isso é o reconhecimento do trabalho duro que a gente vem fazendo. Às vezes dá certo, outras não. Hoje nós até conseguimos reagir, buscar o empate, mas não foi possível segurar o time deles no final. Agora não temos escolha, é vencer ou vencer, dentro e fora de casa”, declarou.
A ADDP segue com um ponto em três partidas, enquanto o Jaraguá chegou a quatro. O líder do grupo é o Carlos Barbosa, com nove pontos, seguido pela equipe do Jaraguá. Em terceiro está o Minas, com dois pontos e a ADDP fecha a classificação do grupo A.
A ADDP atuou com: André, Regufe, Fabrício, Wellington, Wilson, Bruno Ciro, Arthur, Vinicius, Igor Bento, Lucas Tardelli, Alfredo, Davizinho e Caio T:Cupim Prep Físico: Bruno Rodrigues
Na próxima segunda-feira (20), a ADDP recebe o Carlos Barbosa, em sua última partida como mandante na segunda fase. O jogo acontece às 20:15, com entrada franca.


Julio Avila















Wellington eleito o melhor jogador de Cabo Frio

Leia Mais

HISTÓRIAS E CONQUISTAS DO ESPORTE AMADOR DE CABO FRIO - FUTSAL, DA FUNDAÇÃO DA LIGA ATÉ A LIGA NACIONAL - PARTE 30

“Da fundação da Liga até a Liga Nacional”
Parte 30


Em virtude de problemas técnicos, particulares e envolvimento no processo eleitoral estive sem condições de manter a postagem toda semana como estávamos acostumados, mais estamos de volta postando acontecimentos relativos ao ano de 1996.


Reflexo da Atitude em 1995
Este ano ainda sofreu o impacto do reflexo da atitude em 1995 quando uma ata da Liga foi derrubada, culminando com a renúncia de diretores e do presidente da Liga, criando um clima de insegurança e falta de credibilidade que tinham sido adquiridos durante nove anos.
A Taça Cabo Frio e o Campeonato Municipal que tinham como imagem planejamento e organização e já esperado como sempre pela sociedade, pela primeira vez estava ameaçado em não acontecer. Como a diretoria pediu renuncia em virtude do episódio em 1995, o primeiro passo era formar uma nova diretoria e somente depois seria possível a realização das competições.
Somente depois de alguns meses foi possível formar uma nova diretoria, o presidente o Sr. Rogério Sarti já tinha assumido em Setembro de 1995. Como houve uma demora na solução do problema ficou decidido que não teríamos a Taça Cabo Frio e também o Torneio Início, somente seria realizado o Campeonato Municipal em todas as categorias, mais mesmo assim esse campeonato foi adiado por várias vezes, essas incertezas mexeram muito com o público e inclusive as empresas que sempre patrocinavam a competição, as equipes estavam com dificuldades inclusive de fazerem parcerias, o que normalmente em anos anteriores não acontecia.







Campeonato Municipal
Após estes episódios negativos serem contornados o campeonato teve seu início em Maio, dele participaram as equipes da A. A. Cabo-friense (campeã em 95), Tamoyo E. C., Parque Burle, União e Ferlagos.
Para a fase final da competição classificaram-se as equipes da A. A. Cabo-friense e Parque Burle. Ao final dos jogos a equipe da A. A. Cabo-friense sagrou-se campeã de 1996, conquistando assim um tricampeonato (1994/5/6) e acumulando cinco títulos ao somar os títulos de 1991 e 1992.
Cabe ressaltar que neste ano foi desenvolvido pela primeira vez uma competição denominada de Iº Circuito de Futsal na categoria Infanto. Essa competição veio preencher uma lacuna existente já a bastante tempo, durante estes nove anos tivemos competições de base que atendiam até 15 anos e o juvenil que a princípio era de 18 anos em diante, ou seja dos 16 anos até os 17 anos ficava um espaço, neste primeiro circuito a equipe do Tamoyo E. C. foi a campeã



























Campeonato Estadual
Neste ano mais uma vez tivemos três equipes representando a Liga, A. A. Cabo-friense, Tamoyo E. C. e União F. C., como em anos anteriores não conseguimos passar para a outra fase, veja recortes de matérias da Folha dos Lagos



















JAI’S (Jogos Abertos do Interior)
A seleção de Cabo Frio conseguiu conquistar o seu bicampeonato nos JAI’S e também assegurou a vaga para representar o Estado do Rio de Janeiro nos JAB’S (Jogos Abertos Brasileiro), ao final da competição Cabo Frio conquistou o quarto lugar, veja os recortes da matéria do Jornal Folha dos Lagos.























Esporte Sem Teto x Ginásio Poliesportivo
Em 1994 quando tivemos na cidade de Venâncio Aires no Rio Grande do Sul representando o Estado Do Rio de Janeiro com a seleção de Cabo Frio, ficamos surpresos com a quantidade de ginásios poliesportivo com dimensões atualizadas existente na cidade muitos delas inclusive dentro de escolas, comentávamos em tom de brincadeira que dava voltada de pegar e levar somente um para Cabo Frio.
Qual nossa surpresa ao sabermos que procedimentos foram tomados justamente para a concretização dos nossos sonhos, a construção de um ginásio poliesportivo, todos ficaram alegres e empolgados com a notícia. Fomos inclusive a uma empresa em Santa Teresa no Rio de Janeiro, detentora do conhecimento em projetar ginásios poliesportivo.
Mais o tempo foi passando e quando estávamos na reta final nos deparamos com um processo eleitoral tendo de um lado o Sr. Alair Correia na época Deputado Estadual, e do outro lado o Sr. Jose Bonifácio na época Prefeito, duas personalidades importantes na história política da nossa cidade, como resolver esse impasse nós sabíamos que o momento era delicado, mais como deixar escapar a oportunidade de vermos realizado um sonho de vários desportistas.
Começamos a formar um movimento não politiqueiro mais sim voltado para obtermos a construção do ginásio poliesportivo, lembro que nos reuníamos uma ou duas vezes por semana no Hotel Nanuque em plena época de verão em Cabo Frio, com o comercio em alta tínhamos que ao final de um dia cansativo participar destas reuniões, mais valia a pena fazer todo esse esforço por uma boa causa
Após algumas sugestões dos participantes ficou decidido que deveríamos abrir o diálogo tanto com o Sr. Alair Correa como com o Sr. Jose Bonifácio, ficou decidido também que nesse primeiro momento o Sr. Barreto e Sr. Eliseu Pombo representariam o movimento, e lá fomos nós ao encontro das duas personalidades políticas da cidade, sentávamos com um que colocava sua opinião e fazia sugestões, depois falávamos com o outro e ele também colocava sua opinião e sugestões. Ao final de muitas conversas e sem uma solução que atendesse os dois lados e principalmente aos objetivos dos desportistas, ficou decidido que deveríamos desenvolver atividades que pudéssemos sensibilizar a sociedade, assim como entidades esportivas e órgãos importantes de Cabo Frio.
Numa destas reuniões o Sr. William na época presidente da Federação de Handebol sugeriu que o movimento chamasse Esporte Sem Teto, sua sugestão foi aprovada por unanimidade, outra sugestão aprovada foi da realização de um evento na Praça Porto Rocha envolvendo todos os desportistas que teriam que realizar uma atividade referente a sua modalidade, ao mesmo tempo pessoas estariam ao redor colhendo assinaturas para um abaixo assinado que seria depois entregue na Câmara de Vereadores.
Foram produzidos prospectos evidenciando algumas informações, várias entidades esportivas Ligas, Federações e Confederações, assim como a OAB e da Paróquia Nossa Senhora da Assunção encaminharam documentos solicitando apoio da Câmara para a construção do ginásio, também tivemos uma grande conquista quando o professor Renato Azevedo aderiu ao nosso movimento, assim como o craque Romário
Depois de todas estas atividades desenvolvidas de forma respeitosa sem revanchismos ou radicalismo, entregamos ao Presidente da Câmara de Vereadores Sr. Acyr Rocha o abaixo assinado com 1.321 assinaturas, em seguida também fizemos a solicitação para utilizar a “Tribuna Livre da Câmara” que acabava ser criada. Inauguramos a Tribuna Livre na Câmara de Vereadores, sendo o professor Renato Azevedo o primeiro a utilizar a tribuna representado a Liga Cabo-friense de Futebol de Salão e o segundo a falar foi o Sr. Eliseu Pombo representando a Liga Cabo-friense de Handebol.
Um dia antes da sessão na Câmara de Vereadores quando seria de fato definido a construção ou não do ginásio poliesportivo, foi realizado reunião no Tamoyo E. C. envolvendo os vereadores ainda indecisos e os desportistas, no final todos se comprometeram a votar a favor durante a sessão da Câmara no dia seguinte. E assim aconteceu, somente o vereador Aires Bessa não votou por não ter comparecido a sessão
Fato consumado com uma grande vitória para o esporte de Cabo Frio, tivemos a promessa dos candidatos a prefeito que se fossem eleitos dariam continuidade a construção do ginásio poliesportivo (o Prefeito Jose Bonifácio já havia iniciado as obras) assim que assumissem, porém na realidade o que vimos foi uma paralisação desta construção desde 1997 até Junho de 2004, somente no segundo semestre de 2004 foram iniciadas as obras de construção.


















Romário com atletas apoiando o Esporte Sem Teto

Durante esse período uma geração de atletas, crianças, adolescentes e jovens, assim como modalidades esportivas não tiveram a oportunidade de vivenciar uma evolução esportiva ou um projeto sócio esportivo. Somente em 2005 quando da eleição do prefeito Marquinho Mendes que foi apoiado pelo PROESPA (Projeto de Esportes Amadores) desenvolvido por vários desportistas, e que o esporte teve o devido respeito que lhe é merecido. Na gestão do Prefeito Marquinho Mendes o esporte amador teve uma transformação digna da frase “da agua para o vinho”, essa atitude positiva levou o Prefeito Marquinho Mendes a ganhar o título de “Pai do Esporte Amador”


Aos Srs. Moacir Cabral, Rodrigo Cabral do Jornal Folha dos Lagos, Sr. Flávio Barreto, Sr. Edson Dias (cureco) e ao nosso amigo oculto, os nossos agradecimentos pela colaboração na história do Futsal

Ler Mais